});
domingo, abril 11, 2021
Autores Posts por Vem Na Mão

Vem Na Mão

11 POSTS 0 COMENTÁRIOS

Segundo o site, o UFC se encontrará com Borrachinha e avançará a batalha contra Whittaker até o dia 17 de abril.

O brasileiro que tentava devolver a condição de desafiante ao campeonato chegou a um acordo verbal com o ex-campeão para exigir um duelo importante no peso médio

Paulo Borrachinha é o último desafiante do cinturão dos médios (até 83,9 kg), o Ultimate quase cumpriu seus desejos pessoais. Segundo “Sherdog”, a empresa encaminhou o conflito entre o mineiro e Robert Whittaker no dia 17 de abril, mas ainda não foi determinado. Segundo o site norte-americano, os atletas têm acordos verbais para lutar.

Borrachinha foi derrotado pelo israelense Adesanya em outubro de 2020 e continuou a desafiar Whittaker poucos dias após perder para o nigeriano no campeonato. O mineiro está disposto a retomar o título de competidor direto quanto antes e viu a oportunidade de encarar com bons olhos o ex-campeão do grupo, que atualmente ocupa o primeiro lugar do ranking.

Quando Paulo expressou publicamente seu desejo de trocar forças com o australiano, Robert continuou seu plano de conquistar o título porque ganhou duas vezes consecutivas. Super luta entre Adesanya e Jan Blachowicz no cinturão dos meio-pesados ​​(peso até 93 kg). O UFC viu o duelo entre Whittaker e Borrachinha com outros olhos, pois o atual campeão passará temporariamente para a categoria principal.

Paulo tem 29 anos e é considerado uma das grandes figuras da nova geração do MMA brasileiro no Brasil. Hoje, o mineiro deu 14 palestras como profissional de MMA e conquistou 13 vitórias e 1 revés.

Whittaker foi o líder do evento peso médio de 2017 a 2019. Após duas vitórias consecutivas, ele redescobriu uma boa fase de sua carreira. Hoje, o atleta soma 27 jogos, 22 vitórias e 5 derrotas.

O iraniano Hulk apareceu e convocou uma luta com o gorila do Cazaquistão: pronto …

 

O lutador Sajad Gharibi (conhecido como o “Hulk Iraniano”) reapareceu após sua ausência nas redes sociais. E enfrentou um desafio: chamou o fisiculturista de “gorila do Cazaquistão” para a batalha. Em um post sobre a função do Instagram Stories, o fisiculturista de 29 anos está disposto a enfrentar seus concorrentes.

Ele escreveu: “Estou pronto para esmagar este macaquinho”. “Patrocinadores e organizadores que podem começar esta luta, por favor, entre em contato comigo.” Não é a primeira vez que Sajad Gharibi menciona possíveis oponentes. Em novembro do ano passado, ele respondeu às provocações de novos concorrentes.

“Tenho certeza de que vai se arrepender do que fez. Você será carregado para fora do ringue por uma maca com um membro quebrado. Você saberá por que o mundo me chama de Hulk. Eu sou. Vou te ensinar uma lição. Nós vai lutar. Assine o contrato! “Iranian Hulk” respondeu na ocasião.

José Aldo se diz contra fazer lutas com youtubers: “Isso é WWE”

Não espere até que José Aldo se junte à luta contra um youtuber que resiste com milhões de seguidores. Apesar de entender os motivos de alguns lutadores aceitarem o desafio, o brasileiro disse que nunca participaria de eventos semelhantes. “Acho que é normal. Se você vende porque as pessoas estão interessadas. Sou totalmente contra. Os lutadores profissionais não podem lutar contra os YouTubers. Isso é a WWE.

Eu sou um atleta muito sério. Ele disse:” Todo mundo tem que treinar. Para fazer o nosso melhor. Seja reconhecido por isso. Porém, se alguém gosta e quer fazer, acho que não tem problema. ”

Depois que o campeão múltiplo de boxe Floyd Mayweather anunciou que iria iniciar uma batalha de exibição com a estrela da mídia social Logan Paul, uma onda de especulação envolvendo usuários do YouTube começou. O irmão de Logan, Jack Paul, derrotou Mike Tyson no mesmo jogo contra Roy Jones Jr. e derrotou o ex-jogador da NBA Nate Robison.

Questionado sobre essa possibilidade, o presidente do UFC, Dana White, descartou qualquer oportunidade que pudesse promover lutas irlandesas com usuários do YouTube. Depois das várias provocações de Paul, Dana disse que Amanda Nunez deveria enfrentá-lo. A brasileira disse que aceitou.

WWE é uma transmissão de televisão nos Estados Unidos, uma luta bem planejada. O evento fez muito sucesso nos países da América do Norte, recentemente, Ronda Rousey participou do evento.

Ex-campeão do UFC foi demitido após participar da invasão do Capitólio

 

Membros do Hall da Fama do UFC compareceram à invasão do Capitólio pelo apoiador presidencial dos EUA Donald Trump na semana passada. Pat Miletich, dono de duas divisões da organização, postou imagens nas redes sociais perto do Congresso dos Estados Unidos. Ontem (12), ele foi demitido como comentarista da Traditional Fighting League (LFA).

No post, Millich reiterou que as ações dos apoiadores de Trump foram pacíficas e exigiu que seus seguidores parassem de “ouvir a imprensa”. No entanto, a verdade é a mentira dos ex-combatentes. Um policial do Capitólio foi espancado até a morte durante a invasão. Em termos de extremismo.

Miletich não participa de competições de ringue de MMA desde 2008, mas o tempo que passou nessas competições foi uma grande vitória. Quando o UFC ainda estava engatinhando, ele se tornou o primeiro campeão dos meio-médios a derrotar Mikey Burnett em São Paulo em 16 de outubro de 1998. Ele defendeu o título quatro vezes antes de ser derrotado por Carlos Newton em 2001.

Quando decidiu se aposentar, criou uma academia e se tornou uma fábrica campeã. A Miletich Fighting Systems está localizada em Iowa, EUA, e é a casa de vários proprietários de cinturões de MMA. Principalmente no UFC, os campeões são Matt Hughes, Tim Sylvia, Jens Pulver e Robbie Lawler. No ano passado, Miletich voltou ao ringue de boxe e participou de uma competição de taekwondo. Aos 54 anos, ele foi separado por Michael Nunn e decidiu

Miletich se define como um “buscador da verdade” nas redes sociais. Apesar de provar sua eficácia, sua posição é frequentemente preenchida com teorias da conspiração, principalmente envolvendo uma vacina contra covid-19.

 

St-Pierre comenta sobre a superluta com Khabib , e não descarta um possivel retorno ao MMA: “Dana sabe onde me encontrar”

O canadense disse que além de enfatizar a importância de ter confiança na batalha, não mudaria sua forma de lutar para enfrentar os russos.

Georges St-Pierre falou mais uma vez sobre seu desejo de enfrentar Khabib  Nurmagomedov na futura super batalha. Ex-campeão peso médio (até 77 kg) e campeão peso médio (até 83,9 kg). Analisou o que pode fazer na batalha decisiva com os russos e está considerando retornar ao octógono.

“Se essa luta acontecer em um mundo hipotético, julgo que preciso usar todas as minhas ferramentas. Sou bom em fazer as coisas, não porque estou lutando contra o Khabib (Nurmagomedov), então mudarei sua forma de lutar. Ao longo da minha carreira, sempre tive uma forma de lutar bem-sucedida, penso que o erro que muitas pessoas cometem na luta contra o Khabib é mudar sua forma de lutar, porque é sabido que ele pode ser o melhor lutador da história Não é porque estou lutando contra o Khabib , Não vou enrolar com ele. Se eu tiver a oportunidade de derrubá-lo, tentarei derrubá-lo. GSP está no ex-campeão dos médios e ex-oponente Michael. Em entrevista ao podcast “Believe You Me“, disse Michael Bisping:” Acredito que há uma hipótese de desapontá-lo e tenho plena confiança em mim mesmo. ”

Saint-Pierre também falou sobre a importância da confiança para os lutadores de MMA e admitiu que trazê-lo de volta ao octógono exige “coisas especiais”.

“Se o UFC me quiser de volta, não sou o tipo de pessoa que imploraria para lutar. Isso seria a minha coisa mais estúpida. Os canadenses concluíram que se eles têm uma oferta que você não pode recusar, Dana sabe onde me encontrar.

Georges St-Pierre é saudado por muitos como o melhor lutador da história, estabelecendo um recorde de 26 vitórias e duas derrotas profissionais. Desde que derrotou Michael Bisping, em novembro de 2017, o canadense não se apresentou profissionalmente no MMA.

Mayweather ataca Conor após derrota: “McLoser” e “não vencer nem no UFC””

O boxeador criticou o irlandes após perder para Dustin Poirier, reacendendo assim a antiga rivalidade.

Floyd Mayweather não poupou Conor McGregor depois que o irlandês foi derrubado pelo americano Dustin Poirier no UFC 257. A derrota marcou a primeira vez em sua carreira de lutador que ele foi eliminado do jogo e voltou ao octógono após uma curta aposentadoria.

““ Eu vi este artigo, e minha opinião sobre ele é que o mundo inteiro sabe que o mentiroso Mcloser (McPerdedor, em tradutor gratuito) pode roubar tudo de mim e ser amado, mas eu realmente sou odiado. Apenas permite que todos saibam que o racismo ainda existe. Só saiba que o vagabundo nunca se tornará eu, nem se tornará meu nível. Minha maneira de crescer é diferente. Minha mentalidade está em outro planeta. Minhas habilidades são incomparáveis. Sou um vencedor natural. Sim, falo muito besteira. Isso é o que eles odeiam”, disse Mayweather.

“Você é realmente um menino negro de uma favela. É muito triste. Eu lidei com o racismo toda a sua vida e trabalhou muito para me colocar e minha família em uma posição melhor. A maior parte do ódio vem do meu próprio povo. Connor pode nem vencer em seu próprio esporte, mas está falando em voltar ao boxe para lutar contra Pacquiao e acrescentou que ninguém quer ver isso.

Essas declarações reacendem a velha competição. Em 2017, Mayweather e Connor McGregor se enfrentaram em uma luta de boxe. Os irlandeses foram eliminados na décima rodada.