XFCi 11: Fernando dos Santos e Willian Cilli se encaram na final do torneio dos leves

300

Representando as tradicionais academias Nova União e Chute Boxe Diego Lima, atletas disputam a medalha de ouro no próximo dia 19 de setembro, em São Paulo.

O atleta da Nova União se credenciou até a final após vencer Rubenilton Pereira / Foto: Fusion Photography

Com um card repleto de novidades, lutas decisivas e cinturão em jogo, o XFCi 11 promete ser um evento histórico para a franquia no próximo dia 19 de setembro, no XFC International Center, em São Paulo. Em uma das decisões da noite, o carioca Fernando dos Santos encara o paulista Willian Cilli na final do torneio peso-leve (até 70,3kg) masculino em um confronto que coloca frente a frente duas academias consagradas. Representando a Nova União, Fernando é pupilo de um dos líderes da equipe, o experiente Marlon Sandro, enquanto Cilli integra a Chute Boxe Diego Lima, que hoje busca resgatar o espírito da histórica equipe curitibana, com jovens como Thomas Almeida e Allan Puro Osso no pelotão de frente.
“Fernando e Willian são lutadores de muito vigor físico e técnica”, analisa o presidente do XFC, Myron Molotky. “Ambos mostraram seu valor nas fases anteriores do torneio com apresentações dominantes e é impossível palpitar sobre quem será o vencedor. Será um duelo que vai ter de misturar tática, habilidade, coração e, sobretudo, capacidade de lidar com a pressão, porque podemos buscar dali o primeiro desafiante ao cinturão da categoria”.
Aos 27 anos, o atleta da Nova União Fernando dos Santos chega à sua primeira disputa de título no MMA com muita história para contar. Ex-jogador de futebol e atualmente guardião de piscina na academia onde treina, o carioca está invicto na carreira em nove duelos disputados. No XFC, foram dois triunfos sobre Michel Silva e Rubenilton Pereira, ambos por decisão unânime dos juízes. 
Especialista no jiu-jitsu, Dos Santos começou na arte suave na adolescência, quando ainda tentava a sorte como jogador de futebol. Só após abandonar os gramados e iniciar a carreira no MMA, no ano de 2010, que o atleta nascido e criado no Morro Santo Amaro, na Zona Sul do Rio de Janeiro, teve o primeiro contato com outras modalidades, como a luta em pé. Ciente da habilidade do seu adversário no muay thai, Fernando intensificou os treinos de sparring com as feras da Nova União para a decisão, mas pretende levar o duelo para onde se sente mais confortável e conseguir a primeira finalização no XFC.
“Meu adversário é um atleta muito duro, bem versátil. Eu acho que ele vai querer manter a luta em pé porque sabe da qualidade do meu jiu-jitsu, e eu já esperando isso afiei bastante meu boxe e meu muay thai. Mas, é inegável que meu desejo é levar a luta para baixo e tentar a primeira finalização no XFC. O jiu-jitsu é minha casa e a luta perfeita para mim seria uma vitória dessa forma, com um katagatame então seria um sonho”, almeja o lutador
Cilli exalta evolução na Chute Boxe e não se preocupa com jiu-jitsu do adversário
Adversário de Fernando na disputa pela medalha de ouro, o paulista de Ubatuba Willian Cilli é membro da equipe Chute Boxe Diego Lima há apenas um ano e meio e está invicto desde que chegou à academia. Totalmente adaptado, Cilli credita sua evolução ao alto nível dos treinamentos na equipe paulista. “Nossos treinos aqui na Chute Boxe são muito intensos, a galera gosta de trocar porrada mesmo. Desde que cheguei aqui evoluí muitas coisas que antes não dava tanta importância”, afirma o atleta de 28 anos.
Na carreira, Willian possui um retrospecto de dez vitórias e três derrotas. Apesar da especialidade no muay thai, o paulistano venceu as três lutas que fez no XFC, diante de Reinaldo Ekson, Luiz Henrique Barbosa e Mohamed Hassan, por finalização e não se assusta com o jiu-jitsu de seu adversário. “Eu procuro tentar manter a luta em pé porque é o meu ponto forte, mas sempre acabam me derrubando e terminam sendo finalizados. Assisti a todas as lutas do Fernando e é mais um que se ficar tentando me derrubar vai ser finalizado. Acredito que ele deva mesmo tentar a luta de chão, mas não tem um jiu-jitsu finalizador, tem um estilo mais amarrão. Como ele deve ter medo da minha trocação, acredito que essa luta possa ir para o chão sim e o jiu-jitsu dele não me assusta”, confia Cilli.
Além da disputa pela medalha de ouro na divisão dos leves, o card do XFCi 11 também decide o campeão do torneio peso-pena (até 65,7kg) com o duelo entre Missael Silva e Guilherme Faria. Na luta principal da noite a brasileira Poliana Botelho disputa o cinturão mundial da categoria peso-mosca feminino (até 56,7kg) contra argentina Silvana Juarez. O card conta ainda com outros sete duelos que marcam o início da terceira temporada de torneios.
XFCi 11
Sábado, 19 de setembro de 2015
Horário: A definir
Local: XFC International Center
Endereço: Rua Doutor de Mello Nogueira, 90 – Casa Verde (SP)
Entrada exclusiva para convidados
Card de Lutas
Até 56,7kg: Poliana Botelho x Silvana Juarez – Disputa do cinturão mundial
Até 70,3kg: Fernando dos Santos x Willian Cili – Final do torneio peso-leve
Até 65,8kg: Missael Silva x Guilherme Faria – Final do torneio peso-pena
Até 52,2kg: Kate Da Silva (NZL) x Marilia Santos – Torneio 
Até 52,2kg: Sheila Gaff (ALE) x Antonia Silvaneide Marretinha – Torneio
Até 70,3kg: Cleiton “Predador” Pereira x Weslle Pereira – Torneio 
Até 56,7kg: Julia Borisova (RUS) x Ilara Joanne – Torneio 
Até 70,3kg: Ezequiel Eyalarar (ARG) x Jefferson Rodrigues – Torneio 
Até 56.7kg: Denis “Três Dedos” Oliveira x José Vagno Soares – Torneio
Até 56,7kg: Rogério Bontorin x Israel Silva Lima – Torneio

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here