Marlon Moraes promete ‘melhor apresentação da carreira’ na principal luta do WSOF 18

248

Em sua melhor fase, campeão defende título dos galos contra Josh Hill nesta quinta-feira, dia 12 de fevereiro, em Edmonton, no Canadá.

Considerado um dos melhores do mundo em sua divisão, o peso-galo (até 61,2kg) Marlon Moraes tem mais um importante desafio pela frente nesta quinta-feira, dia 12 de fevereiro. Na principal luta do WSOF 18, em Edmonton, no Canadá, o campeão encara o atleta local Josh Hill, sem se importar pelo fato do desafiante lutar com o apoio da torcida. Para vencer, Marlon realizou o que considera seu melhor camp da vida, e o resultado dentro do cage, segundo ele, será com sua melhor apresentação da carreira. O canal Esporte Interativo transmite ao vivo o card principal do evento, na madrugada de quinta para sexta-feira, a partir de meia-noite (horário brasileiro de verão).

O desafio será o primeiro de Marlon Moraes com seu cinturão em jogo. Em setembro de 2014, Cody Bollinger seria seu primeiro desafiante, mas o norte-americano não bateu o peso limite da categoria e o embate aconteceu em peso combinado. Sem se importar com a falha do oponente, o brasileiro entrou em ação e finalizou a disputa no segundo round. Para o resultado ser uma nova vitória, o que será a nona consecutiva, Marlon se preparou como nunca em camp iniciado na Valor Martial Arts, na Flórida, e encerrado na Ricardo Almeida Jiu-Jitsu, em New Jersey, ambas nos Estados Unidos, onde o atleta vive há quatro anos.

“Fiz a melhor preparação da minha vida. Foram três meses de muito treinamento, aprendendo novas técnicas, me dediquei bastante, dei tudo de mim. Eu aprendi muitas coisas com meus treinadores e companheiros de equipe, e agora quero mostrar ao mundo tudo isso, dentro do cage, fazendo minha melhor apresentação da carreira. Estou pronto para isso”, avisa Marlon, de 26 anos.

Será a 19ª luta na carreira do atleta natural de Nova Friburgo. Em sete anos como profissional de MMA, são 13 vitórias, sendo cinco por nocautes, além de um empate e quatro derrotas. Para alcançar o 14° triunfo, Marlon sabe que terá um adversário perigoso pela frente. Hill exibe um cartel com 10 lutas e 10 vitórias, sendo seis por decisão dos juízes laterais.

Em três meses de camp, Marlon decifrou os pontos fortes do canadense, e tratou de aprimorar técnicas para não ser surpreendido no embate. No wrestling, especialidade do desafiante, o brasileiro contou com a ajuda de Frankie Edgar em seus treinos. A boa performance nos treinamentos faz a confiança do campeão aumentar. “Minha estratégia para a luta é bem simples: apresentar ao mundo o melhor Marlon Moraes que já foi visto no MMA. Esse será o Marlon que vai entrar no cage na quinta-feira, e a vitória virá em consequência disso. Não sei como a vitória virá, se por pontos, nocaute ou finalização, só sei que vou vencer”.

Luta na casa do adversário e baixa temperatura não intimidam o campeão

Enquanto lutar em casa não é algo tão familiar para o brasileiro, que fez a maioria de seus combates da carreira no exterior, para Josh Hill o fato não é nenhuma novidade, tendo em vista que o lutador fez todas suas lutas profissionais em solo canadense. Mesmo sabendo do ótimo retrospecto do desafiante como anfitrião, Marlon mantém a confiança.

“Quando a porta do cage fecha e o árbitro autoriza, não tem essa de campeão ou lutador local. Será somente ele e eu, e o segredo está na preparação. Quem estiver melhor preparado, vai ganhar. Eu garanto que estou muito bem, pronto para o combate. Vou dar o meu melhor e defender meu título”, garante.

Apesar de ser nascido no Rio de Janeiro, as altas temperaturas não fazem parte da rotina de Marlon, que, há quatro anos morando nos Estados Unidos, já está acostumado ao frio do inverno no hemisfério Norte. A temperatura em New Jersey é algo bem parecido com o que ele encontrará no local da luta, em Edmonton, no Canadá. A previsão para esta terça-feira, dia 10 de fevereiro, data que o brasileiro desembarca na cidade canadense, é de – 11° C.

“O frio que vou encontrar por lá me fez ter que chegar mais leve no Canadá. Vai ser mais difícil perder peso na cidade da luta. Como estou saindo de New Jersey, onde o clima é bem parecido com o que terei no Canadá, estou tranquilo. Antecipei um pouco minha dieta para não ter problemas com a balança. Sou o campeão, tenho que dar o exemplo, então fiz esse planejamento para bater o peso sem problemas”, revela.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here