Marlon Moraes comemora vitória com ‘torcida’ do filho no WSOF

231

Campeão peso-galo da organização finalizou o também brasileiro Sheymon Moraes no último sábado, dia 1°, na primeira luta com a presença do pequeno Rafael na arena.

A vitória contra Sheymon Moraes foi a 10ª de Marlon pelo o WSOF (Divulgação/WSOF)

A noite do último sábado, dia 1° de agosto, reservou emoções especiais para Marlon Moraes. Na co-luta principal do WSOF 22, em Las Vegas, nos Estados Unidos, o campeão peso-galo (até 61,2kg) da organização norte-americana defendeu com sucesso seu cinturão, desta vez diante de Sheymon Moraes, vencendo por finalização no terceiro round do embate. Para completar a noite inesquecível, Marlon lutou pela primeira vez diante dos olhos do pequeno Rafael, de 10 meses, seu único filho. 
Para conquistar o triunfo, o segundo defendendo seu título, Marlon Moraes percorreu um caminho com muitos obstáculos. Durante o camp de preparação, faltando duas semanas para o grande momento, o lutador natural de Nova Friburgo, Região Serrana do Rio de janeiro, sofreu um profundo corte na região da glabela (espaço entre as sobrancelhas) e precisou levar oito pontos na recuperação. Marlon sequer pensou em deixar o compromisso, e a presença de um torcedor especial na arena ajudou na decisão de permanecer no combate.
“Junto com minha esposa, planejamos de levar o Rafael para essa luta para servir como uma motivação extra para mim. E foi exatamente o que aconteceu. Era um combate perigoso, o Sheymon é um cara duro, mas cada vez que eu pensava no meu filho treinava melhor, com mais vontade. A presença dele me deixa mais forte. Quando tive o corte durante o treinamento, logo pensei que não poderia sair da luta para não cancelar tudo que estava planejado e frustrar o Rafael, mesmo sem ele ainda entender nada”, revelou o campeão, aos risos, após a vitória. 
Rafael acompanhou a vitória do pai da primeira fila, no colo da mãe Izabella. Ele é o primogênito do casal, e a chegada do filho mudou a vida do dono do cinturão peso-galo do WSOF, atualmente com 27 anos. Foram duas vitórias em duas defesas de título desde então, contando a vitória sobre Josh Hill por pontos, em fevereiro deste ano, no WSOF 18. Agora, além da vontade natural de qualquer competidor, o lutador tem no filho um estímulo a mais na manutenção da invencibilidade de mais de três anos na carreira.
“Quando você se torna pai, você amadurece, cria novas responsabilidades e ainda mais motivação. Sei que agora tem um garotão que depende de mim, depende dos meus treinos, das minhas lutas, e canalizo essa responsabilidade não como uma pressão, mas sim como um ânimo a mais na preparação e na hora do combate. Estou muito feliz com o período invicto, são 10 vitórias em 10 lutas, e agora quero mais e mais conquistas para mostrar para o Rafael no futuro”, contou. 
E os próximos desafios de Marlon Moraes na carreira serão pelo WSOF. O lutador aumentou seu tempo de contrato com a organização antes de defender seu título no último sábado. A decisão foi tomada com um objetivo: ser o maior nome da história do evento. Competindo desde a edição inaugural do show, em novembro de 2012, o brasileiro venceu todas as oito lutas no cage do WSOF. Foram dois nocautes e duas finalizações, além de quatro triunfos por pontos. As conquistam somam o total de 20 lutas no MMA profissional, sendo 15 vitórias, quatro derrotas e um empate. 
“O meu momento é no WSOF. Sou feliz no evento, sou respeitado pelos executivos e tenho uma relação muito boa com eles. Estou evoluindo na carreira, alcançando alguns números que eu tinha como meta, e agora quero mais. Quero ser o maior da história do evento, elevar ainda mais minhas conquistas na carreira, e assim aumentar minha imagem, consequentemente”, explicou. 
Vitória construída na estratégia
O encontro entre Marlon Moraes e Sheymon era bastante aguardado pelos fãs. Conhecidos por serem agressivos quando entram em ação, especialistas no muay thai, os brasileiros protagonizaram um combate bastante movimentado e quase que 100% disputado de pé, correspondendo às expectativas. Nos poucos segundos de luta no solo, Marlon foi decisivo, encontrando espaço para ajustar o mata-leão que sacramentou sua vitória, no terceiro round, após derrubar o desafiante em knockdown com um cruzado de esquerda.
“A vitória deixa qualquer um feliz, mas a maneira como esse triunfo foi conquistado me deixou ainda mais animado. Segui à risca a estratégia que montamos, que era trabalhar a velocidade e o boxe. Planejamos também não perder oportunidades no chão, e foi o que aconteceu. Sou grato aos meus treinadores, que me deixaram em totais condições de realizar uma grande luta e sair com a vitória mais uma vez”, agradeceu Marlon Moraes, membro da equipe Ricardo Almeida Jiu-Jitsu / Valor Martial Arts, treinado por Anderson França e Mark Henry na trocação, Ricardo Cachorrão no jiu-jitsu e Frankie Edgar no wrestling. 
COMPARTILHAR
Artigo anteriorEsse nocaute foi violento!
Próximo artigoUFC na cadeia?

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here