Lucas Mineiro atende chamado às pressas para UFC Goiânia e se diz ‘na ponta dos cascos’

191
Atleta da Chute Boxe Diego Lima substitui Renato Moicano a menos de um mês para o evento e encara bósnio Mirsad Bektic em sua sexta luta pela organização.

Foto: Divugação

No MMA, aceitar chamados de última hora não é novidade para a maioria dos lutadores, mas ainda assim a recusa é algo frequente, com a alegação do pouco tempo para se preparar. Não é o caso de Lucas Mineiro, confirmado como substituto de Renato Moicano no duelo contra o invicto Mirsad Bektic, no UFC Fight Night 67, que acontece no próximo dia 30 de maio, em Goiânia. Em ritmo de acelerado de treinamentos mesmo sem luta marcada, o peso-pena (até 66,2kg) se colocou à disposição do Ultimate prontamente depois da lesão do compatriota Moicano e vai buscar sua quarta vitória em seis lutas na organização desde a estreia em 2014.

O camp para enfrentar Bektic terá menos de um mês de duração, já incluído o período crítico de corte de peso, geralmente em torno de dez dias. A corrida contra o tempo não vai influenciar negativamente o brasileiro, que já vinha se preparando para uma possível luta em junho, além de ter participado intensamente dos treinos do amigo Thomas Almeida, que no mês de abril nocauteou Yves Jabouin, no UFC 186. Dessa maneira, Mineiro se vê “na ponta dos cascos” para o retorno ao octógono.

“Aqui na academia, a gente costuma falar que não fazemos camp de treinamento porque estamos sempre prontos para lutar. Minha ideia era lutar em junho, então estava treinando em um ritmo muito forte, além de ajudar o Thomas. O camp dele foi meu também e com certeza isso foi mais um motivo que me fez aceitar esse combate faltando menos de um mês”, explica o atleta, que foi o principal sparing de Thominhas, simulando Jabouin no camp.

A aposta para vencer e ingressar pela primeira vez entre os 15 melhores da divisão é na evolução do seu jogo de wrestling após o revés para Darren Elkins, em outubro de 2014, no Rio de Janeiro. Lucas foi derrotado por decisão dividida dos juízes laterais, em um combate no qual o adversário manteve a luta na grade durante boa parte do tempo e impediu o desenvolvimento do jogo do brasileiro. Desde então, os treinos se intensificaram e a aposta do nocauteador Lucas Mineiro é, surpreendentemente, numa vitória por finalização.

“Depois da minha última luta, eu coloquei a cabeça do lugar e foquei bastante nas minhas falhas. Agora não fico mais de dez segundos na grade e o que aconteceu naquela oportunidade não vai se repetir. Por acaso, o estilo do Bektic é parecido com o Elkins e vai ser a minha chance de mostrar o que eu evoluí nesses últimos meses. Se ele vacilar, vou finalizar porque estou com muito foco no jiu-jitsu. Garanto que o meu melhor ainda está por vir”, afirma o lutador de 26 anos, que possui um cartel de 15 vitórias e duas derrotas.

Adversário de Lucas, Mirsad Bektic está invicto na carreira com nove triunfos em nove combates disputados. Nascido na Bósnia Herzegovina, mudou-se para a Itália com apenas três anos, no meio da guerra em seu país-natal, depois viveu na Alemanha e na sequência foi para os Estados Unidos, onde iniciou a carreira nas artes marciais. Bektic venceu suas duas lutas que fez no UFC por decisão dos juízes, e apesar da curta carreira no octógono já apresentou falhas, segundo análise de Mineiro.

“Eu conheço bem o Mirsad, acompanhei as lutas dele no UFC e sabia que uma hora ou outra a gente iria se enfrentar. Sei que ele vai tentar me derrubar para trabalhar as cotoveladas e o ground and pound, e como ele não chuta nada, vou explodir meus chutes e ele vai sentir. Bektic nunca lutou contra um cara tão duro quanto eu e só preciso botar em prática tudo que treinei para sair com a vitória”, confia.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here