Shooto Brasil 57 consagra Ronaldo Cândido como novo campeão sul-americano

10

Atleta da Nova União finaliza Bruno Polegar, conquista cinturão até 57kg e se emociona com o título e com a presença do amigo e companheiro de treinos José Aldo.

Kauã Fernandes aplicou perfeito mata-leão em Luan Danger / Foto: Felipe Fiorito

Neste domingo, dia 27 de setembro, o Shooto Brasil 57 presenteou os fãs de MMA com uma série de finalizações e grandes lutas. O Clube Hebraica, localizado em Laranjeiras, Zona Sul do Rio de Janeiro, recebeu 11 combates intensos, com sete terminando por submissão. A mais importante e festejada foi a guilhotina de Ronaldo Cândido em Bruno Polegar, que rendeu o título de campeão sul-americano da categoria até 57kg ao paulista de São José dos Campos. Na co-luta principal, válida pela mesma divisão da disputa de cinturão, Léo Jacaré derrotou Eliel Topete Dourado por decisão unânime dos juízes laterais. A próxima edição do evento acontece no dia 18 de outubro, em local ainda a ser definido.
Duas lutas são retiradas do card
Pré-show, o card do Shooto Brasil sofreu duas baixas. Carlos Eduardo, da Relma Combat e Maicon Theophilo, da BPT / Caxias, não conseguiram realizar todos os exames médicos exigidos pela CABMMA (Comissão Atlética Brasileira de MMA) e seus duelos contra Yago Bryan Codorninha e Ismael Van Dame, respectivamente, foram cancelados.
Com apoio de José Aldo, Ronaldo Cândido finaliza mais um oponente e sagra-se campeão
As mais de 300 pessoas que compareceram ao Clube Hebraica não se desapontaram com o nível da luta principal do Shooto Brasil 57. Bruno Polegar Suema e Ronaldo Cândido travaram embate de faixas-preta no jiu-jitsu e mostraram ótimas técnicas oriundas da arte suave. O duelo começou calmo, com poucas ações dos atletas, até que Ronaldo tomou a iniciativa e prensou o adversário na grade, para em seguida, derrubá-lo e passar todo o round inicial por cima de Polegar. No segundo assalto o invicto Ronaldo Cândido foi mais contundente e controlou todas as ações do combate, que mais uma vez se estenderam para o chão.
O último e derradeiro round iniciou com Bruno tentando golpear bastante em pé, mas não demorou para ambos caírem e o ótimo jiu-jitsu começar a aflorar decisivamente nos paulistas. Ronaldo foi para as costas do rival, que se defendeu bem do mata-leão e levou Cândido à exaustão, porém com um movimento rápido e a posição ideal encaixada, o lutador da Nova União aplicou uma guilhotina perfeita aos 1min41seg. É o primeiro título conquistado por Ronaldo Cândido no MMA, que se emocionou bastante com a vitória e com a presença do “irmão” José Aldo, campeão dos penas no UFC. 
“Primeiramente eu preciso agradecer à Nova União. Faço parte de uma equipe de campeões e ídolos, então não poderia decepcioná-los. Um agradecimento também ao pessoal de São José dos Campos, minha cidade natal, que me incentiva sempre. Estou muito feliz e realizado com esse cinturão, mas a presença desse ‘irmão’ aqui (referindo-se e apontando para José Aldo) me dá mais força. Ele me ajuda muito e sempre sei que posso contar com ele”, afirmou (indo às lágrimas) Ronaldo Cândido, que agora soma seis vitórias em seu cartel profissional, todas por finalização.
Finalizações e Zeilton Nenzão levantam o público
A estreante nas artes marciais mistas, Anne Ferreira, esquentou o público presente com bela submissão por chave de braço em Maria Oliveira. Kauã Fernandes e Luan Danger fizeram a terceira luta da noite e uma das mais festejadas por todos, já que os dois primeiros rounds foram compostos por trocação franca e risco de nocaute para os dois lados. Kauã, mais um da consagrada Nova União, encerrou o combate com um espetacular mata-leão após “mochilar” Luan e levá-lo para baixo, que gerou aplausos de pé do presidente do Shooto Brasil e líder da NU, André Pederneiras.
O show de finalizações não parou. Mario Jr, da Relma Combat, também venceu por mata-leão. A vítima foi Victor Enrique, único atleta da Nova União a sofrer derrota no card. Julio Cesar Imperador e Eliandro PQD foram dois dos mais aplaudidos e incentivados. O primeiro estava com torcida particular e a ouviu ecoar cantos de apoio durante 1m22seg, tempo que precisou para vencer José Claudio Paraíba por guilhotina. O segundo foi mais um dos que conseguiram o famoso mata-leão, que gerou efusiva comemoração do atleta e de todos os presentes, exceto do corner de Rafael Mota, que foi o perdedor.
Zeilton Nenzão foi o que mais provocou calor na torcida. O carioca de 33 anos venceu sua 13° luta na carreira após três rounds de muita ação contra Leonardo Navi, que sofreu um corte no rosto em meados do segundo assalto. Zeilton demonstrou ótima movimentação, golpes precisos de boxe e muita disposição para evitar ser finalizado. No final do combate estava com a guilhotina encaixada, mas o soar do gongo evitou o triunfo por finalização, mas não pela decisão unânime dos juízes laterais.
Shotoo Brasil 57 – Resultados oficiais 
Até 56,7kg: Ronaldo Cândido (Nova União) venceu Bruno Polegar (X-Gym)) com uma guilhotina aos 1m e 41seg do terceiro round – disputa de cinturão; 
Até 57,1kg: Léo Jacaré (Nova União) venceu Eliel Topete Dourado (BPT) por decisão unânime dos juízes;
Até 61,6kg: Zeilton Nenzão (Nova União) venceu Leonardo Navi (Leme Fight Team) por decisão unânime dos juízes; 
Até 57,1kg: Eric dos Santos Panterinha (Arte Local / Nova União) venceu Carlos Eduardo (Dragon Fight Nova União) por decisão dividida dos juízes;
Até 68kg*: Eliandro PQD (Nova União) venceu Rafael Mota (BPT) com um mata-leão aos 3min e 30seg do primeiro round;
Até 61,6kg: Julio Cesar Imperador (Rizzo RVT) venceu José Claudio Paraíba (Relma Combat) com uma guilhotina aos 1min e 22seg do primeiro round;
Até 52,6kg: Ronaico Raio X (Nova União) venceu Léo Speed (BPT) com uma chave de braço aos 2min e 3seg do primeiro round;
Até 57,1kg: Mario Jr. Da Costa (Relma Combat) venceu Victor Enrique (Nova União) com um mata-leão aos 3min e 40seg do segundo round;
Até 61,6kg: Kauã Fernandes (Nova União) venceu Luan Danger (BPT) com um mata-leão aos 3min e 27seg do segundo round;
Até 48kg: Anne Ferreira (Nova União) venceu Maria Oliveira Mota (PRVT) com uma chave de braço aos 2min e 33seg do primeiro round;
Até 61,6kg: Robinho (Nova União) e Aelson Santos Baiano (X Fight Team) empataram em decisão majoritária dos juízes laterais
*Peso Combinado

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here