Ricardo Ramos quer ‘baile de carnaval’ no Legacy FC 51

6
Lutador brasileiro entra em ação nesta sexta-feira, dia 5, por cinturão vago da organização norte-americana.
Ricardo Ramos entra em ação nesta sexta-feira, dia 5, pelo Legacy FC 51 (Mike Jackson)
Enquanto a grande maioria dos jovens brasileiros se prepara para o início do carnaval no país, Ricardo Ramos está pronto para atuar no cage da 51ª edição do Legacy Fighting Championship, nesta sexta-feira, dia 5 de fevereiro, em Minnesota, nos Estados Unidos. O paulista de 20 anos tem pela frente o norte-americano Manny Vazquez, em luta que vale o título peso-galo (até 61,2kg) da franquia norte-americana. Mas, o pujante lutador também pensa na festa popular. Carcacinha, como é mais conhecido no meio da luta, quer montar seu “baile de carnaval” nos Estados Unidos.
E para tirar “nota 10” e conquistar o cinturão da categoria, Ricardo está embalado na carreira. Profissional desde 2012, foram oito lutas e oito vitórias, as duas últimas delas já pelo Legacy FC. Diante dos oponentes Justin Rader e Cody Walker, o brasileiro precisou de pouco mais de três minutos para vencê-los, somados os tempos das duas lutas.
“Estou pronto me tornar o novo campeão do evento. Tive um camp muito bom de preparação, mesmo passando por Natal e Réveillon. Viajei na semana pré-carnaval, estou vendo um monte de amigos postando nas redes sociais fotos em blocos e festas de carnaval. O meu bloco é aqui, meu desfile é com o cage fechado. Vou fazer meu ‘baile de carnaval’ lá dentro”, avisa o lutador, bem-humorado. 
Numa analogia aos desfiles de escola de samba, quando as agremiações se apresentam para o povo e são analisadas por julgadores que definem a campeã do carnaval, Ricardo Ramos também tem seu compromisso de encantar os fãs e um “jurado” em especial: Dana White. O presidente do UFC é presença confirmada na primeira fila do evento, em busca de novos talentos para sua empresa. 
“Ter o Dana White assistindo minha luta é uma sensação incrível, uma grande oportunidade. Não deixo isso se tornar uma pressão para o meu lado. Vou entrar no cage para fazer o que sempre fiz, colocar meu jogo em prática, ser agressivo e buscar a vitória o tempo inteiro. Quero dar um show para os fãs e para ele. Espero que ele me dê uma ‘nota 10’ ao final da luta (risos)”, anseia. 
Treinador quer ‘cadência’ ao longo da luta
Um dos pontos mais aguardados de todas as agremiações de carnaval sempre é a bateria. Ela é a responsável por dar cadência ao samba-enredo, se tornando vital para um bom desfile. Otávio Carneiro não é mestre de bateria, mas também se preocupa com a cadência das batidas de seu pupilo. O head coach da Black Sheep MMA e treinador de Ricardo Ramos desenvolveu uma estratégia para o lutador evoluir ao longo dos cinco rounds da peleja.
“A luta contra o Vazquez será dura, ele é o oponente muito perigoso. O Ricardo venceu suas últimas duas lutas de maneira rápida, ainda no primeiro round. Isso pode acontecer novamente, ele é explosivo e pode nocautear ou finalizar rápido, mas estamos prontos para lutar bem os cinco rounds, sem deixar o ritmo cair. Quero ele lutando como se fosse uma bateria de escola de samba mesmo, em ritmo intenso, e com ‘paradinhas’ apenas nos intervalos entre os rounds”, analisa Otávio, confiante. 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here