Matheus Nicolau exalta bom momento e mostra confiança para estreia no UFC diante de ‘amigo’

4
Em grande fase, mineiro comenta embate com ex-companheiro de TUF Brasil 4 Bruno Korea, dia 7 de novembro, e pensa até em um encontro pós- luta

Matheus Nicolau chegou até as semifinais do TUF Brasil 4 / Divulgação/UFC

Com apenas 22 anos, Matheus Nicolau já atravessa um grande momento na carreira. Atleta da Nova União, o mineiro vive a expectativa de fazer a estreia oficial no UFC, marcada para dia 7 de novembro, no ginásio do Ibirapuera, em São Paulo. No UFC Fight Night 77, que tem como atração principal a trilogia entre Vitor Belfort e Dan Henderson, Matheus vai encarar Bruno Korea, ex-companheiro de TUF Brasil 4. 
O bom momento é revelado nos números oficiais de Matheus, que em 12 embates como profissional, vivenciou apenas uma derrota, há três anos, e um empate. Em seus dois últimos duelos, venceu por nocaute, algo até então inédito no seu cartel. A ascensão na carreira é notória, mas a jovem promessa quer mais.
“Estou vivendo uma ótima fase. Acordo, como e durmo pensando no esporte, buscando desenvolver meu potencial e me tornar um lutador melhor. Tenho me dedicado em cada aspecto do meu jogo. O Korea é um amigo que fiz no TUF, conheço bem as qualidades dele e sei que a luta pode se desenvolver em qualquer lugar. Mas estou pronto para isso. O Matheus que subir no octógono no dia 7 de novembro será o melhor Matheus que todos já viram”, projeta.
Matheus Nicolau e Bruno Korea foram parceiros de time no TUF e acabaram se tornando grandes amigos após o reality show, de onde saíram na fase semifinal. Se um dia foram do mesmo time, hoje são oponentes. Há cerca de vinte dias do confronto, Matheus fala até em sair com Korea após a luta e aproveitar a companhia do amigo. “Ser amigo não altera nada. Qualquer um que entrar no meu caminho terei de enfrentar. É o meu trabalho e buscarei a vitória independentemente de quem seja. A amizade vai até certo ponto. Depois que a gente lutar, tudo volta e podemos até tomar um açaí juntos. Mas, entrando no octógono, é profissionalismo puro”, afirma. 
O nervosismo pela estreia e a necessidade de impressionar os organizadores do UFC logo de início poderia ser uma pressão a mais para Matheus. No entanto, seu jeito tranquilo, habitual dos mineiros, aflora e o lutador afirma tratar este combate como todos os anteriores. Porém, o fato de ser no Brasil e, contar com o apoio da torcida, ajudam-no. 
“Encaro toda minha próxima luta como a mais importante da carreira. E é com este pensamento que estou encarando essa luta. A adrenalina antes de lutar é uma coisa natural, que senti na minha primeira luta na vida, com 17 anos, e senti na minha última luta no TUF. Acredito que também sentirei isso momentos antes de encarar o Korea. Mas quando a porta do cage fecha, o foco é apenas em seguir a estratégia e vencer o rival. E é claro que, por ser em casa, tem um gostinho especial”, revela.
Há quatro anos na Nova União, Matheus virou Matheuzinho na academia. Tido como uma das principais promessas da equipe e muito querido por todos os funcionários e companheiros, o mineiro tem mais uma arma para vencer neste grande desafio. “A Nova União tem um dos melhores plantéis de lutadores no MMA. Qualquer tipo de adversário que você vá enfrentar tem alguém com estilo semelhante por lá para te auxiliar. Aprendo diariamente com todos que estão lá, sejam treinadores ou atletas. Então acho que tenho essa vantagem”, exalta.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here