Marcos Pezão treina na American Top Team como preparação para o UFC 197

17
Academia é conhecida por ser uma das melhores do mundo.
Marcos Pezão (Divulgação)
Na expectativa de começar 2016 com o pé direito, Marcos Pezão treina pesado para a primeira luta no ano, contra o americano Clint Hester, no UFC 197, em Las Vegas (EUA). Essa será a quarta luta do brasileiro no maior evento de MMA do planeta. Parte da preparação será feita em uma das mais conceituadas academias do mundo: a sede da American Top Team, em Coconut Creek, na Flórida (EUA). 
Pezão seguiu para a ATT depois de retornar do Chile, onde acompanhou seus parceiros de treino na 011 MMA Team, Thiago Monstro e Alan Begosso, que competiram em um evento local. 
“A estrutura da American Top Team é impecável. O principal aqui é que posso focar única e exclusivamente no meu treinamento. Fica aquela rotina de casa/academia/casa. Outro ponto é a facilidade para ter parceiros de treino da mesma faixa de peso que eu, o que sempre é complicado no Brasil. Aqui tem caras como King Mo Lawal, Júnior Cigano, Cara de Sapato e outros do mesmo nível”, explicou o atleta.
O meio-pesado também comentou o que espera acrescentar ao jogo enquanto estiver na ATT. “Quero melhorar os aspectos do meu wrestling e meu jiu-jitsu, mas também sair na mão com todo mundo da academia, como sempre”, brincou. 
A American Top Team foi criada em 2001, por Ricardo Libório, quando decidiu deixar a Brazilian Top Team, e Dan Lambert. Atualmente, possui alguns dos melhores lutadores do mundo, como Robbie Lawler, (campeão meio-médio do UFC), além de treinadores renomados, como o próprio Libório e Katel Kubis. Este último, especialista na luta em pé. 
Antes de ir para os Estados Unidos, Pezão treinou no Paraná para aperfeiçoar a trocação com Deucélio Rodrigues, tetracampeão mundial de kickboxing. “Ele preza muito os detalhes técnicos, conhece meu estilo há muito tempo, e o preparo foi perfeito para a tática que fizemos para o próximo desafio”, afirma o lutador do UFC. 
Pezão também opinou quanto à volta de Jon Jones ao octógono, e a disputa contra Daniel Cormier, que é a luta principal do UFC 197: “Tem muito a acrescentar (ao esporte), com certeza. Não importa quem for o campeão, se não vencer o Jones, vai parecer que a conquista não é ‘real’. Ele (Jones) é o cara a ser batido até 93kg. Essa revanche tem tudo para ser um lutão, mas podem ter certeza que a luta da noite vai ser entre Marcos Pezão e Clint Hester”, conclui.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here