‘Mais inteligente’, Allan Puro Osso disputa cinturão no Gold Fight 8 em busca de duelos internacionais

5

Depois de ter dois combates cancelados às vésperas do desafio por problemas dos rivais, lutador da Chute Boxe Diego Lima busca título nacional e segundo triunfo em 2016.

imagem_release_786172

Foto: Gaspar Nobrega

O ano longe dos cages de Allan Puro Osso chegou ao fim em agosto deste ano com vitória sobre Patrique Tavares, no Aspera FC. Neste sábado, dia 29 de outubro, o prospecto, considerado um dos principais lutadores no circuito nacional de MMA, vai em busca do cinturão peso-mosca (até 56,7kg) do Gold Fight, diante de Roberto Souza. A conquista do título, para Allan, pode levá-lo a lutar novamente no exterior, depois da frustração de ver sua estreia no Rizin FF, no Japão, ser cancelada porque o adversário teve problemas para bater o peso e desistiu da luta.

“Fui até o Japão e não consegui lutar. Fiquei extremamente chateado porque me dediquei e infelizmente meu adversário não atingiu o peso limite. Era minha volta a um torneio internacional, que era o Rizin, mas infelizmente não aconteceu. Me preparei mais, foquei nos outros duelos, venci minha última luta e agora retorno para vencer o Roberto e finalizar 2016 com um grande triunfo”, comenta o paulistano, de olho no futuro.

“Uma nova vitória, com um cinturão, me dá mais ânimo para retornar principalmente ao Japão, porque ficou essa pendência lá. Também viso qualquer outro grande evento de fora do Brasil e sei que posso chegar com moral se vencer novamente. Estou mais maduro e pronto para brilhar no MMA que é minha paixão”, completa.

Depois de vencer Patrique Tavares, Allan teve outro duelo cancelado às vésperas de acontecer. Ele enfrentaria o ex-UFC, Iliarde Santos, que também não atingiu o peso (59kg), pela Copa Brasil MMA. Em eventos internacionais, Puro Osso coleciona participações no XFC, quando chegou a ser desafiante ao cinturão da divisão, e no Legacy FC, nos Estados Unidos.

Preparado mentalmente e com ajuda especial

Na preparação para a disputa de cinturão do Gold Fight, Allan contou com a ajuda de toda a equipe Chute Boxe Diego Lima. Sob comando do treinador que dá nome à academia em São Paulo, treinou com os companheiros de longa data Felipe Sertanejo, Thomas Almeida e Charles do Bronx, todos em preparação para combates no UFC.

“A preparação está 100%. Estou pronto para ser campeão do Gold Fight. Estamos todos com luta marcada aqui na Chute Boxe. Aproveitei o mesmo camp deles para me especializar no meu jogo. Acredito que vou lutar como sempre fiz, tentar nocautear ou finalizar. Não quero enrolar a luta e deixar para os juízes essa decisão”, projeta.

Allan considera que o tempo afastado dos cages por lesão, apesar de prejudicial na construção de seu cartel, foi de grande aprendizado e evolução. O paulistano, que completou 25 anos há pouco mais de um mês, se diz mais maduro e preparado psicologicamente para os desafios na carreira. Diante de Roberto Souza, busca a 17ª vitória em 20 lutas.

“Estou mais inteligente, com certeza. Cada derrota ou cada vitória, servem de aprendizado. Cada luta é como se fosse a primeira, mas com a mente mais preparada para aguentar a pressão. Não adianta apenas estar com o físico preparado ou com o jogo afiado. Isso é uma parte da preparação. Ela passa também pela inteligência na hora de finalizar um combate. E esta parte está muito bem trabalhada, melhorei muito meu psicológico no tempo que fiquei parado e também com as frustrações das lutas canceladas. No sábado será um Allan mais inteligente e mais pronto para alcançar meus objetivos”, garante.

Apesar de especialista em muay thai, Allan se destaca pela facilidade de detonar os rivais na luta de solo. Dos 16 triunfos conquistados, 12 foram por finalização, dois por nocautes e duas na decisão dos juízes laterais. Na carreira, apenas três derrotas e todas nas papeletas dos jurados.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here