Invicto e campeão no WGP, Ravy Brunow arrisca caminhada no muay thai em evento pioneiro no Brasil

2

Baiano detentor do cinturão dos meio-médios da organização representa o kickboxing no torneio de muay thai do WGP #34/EFN 9/AD Warriors.

imagem_release_774034

Foto: Divulgação

A pioneira e inovadora parceria entre o WGP Kickboxing em co-produção com os eventos internacionais Elite Fight Night e Abu Dhabi Warriors para realizar um show inédito no Brasil pode trazer mais frutos para um dos principais nomes do kickboxing no Brasil. Invicto e detentor do cinturão do meio-médios (até 71,8kg) do WGP, o baiano Ravy Brunow vai representar o WGP no torneio de muay thai, na primeira semifinal diante de Ricardo Pacheco, em busca do título do torneio e da oportunidade de mostrar seu talento na Tailândia. O WGP #34/EFN 9 / AD Warriors acontece no dia 1 de novembro, em São Paulo, e ainda contará com a disputa do Challenger GP dos pesos pesados (até 94,1kg) do WGP. A Band Sports, Canal Combate e Esporte Interativo transmitem ao vivo a partir das 20h (de Brasília).
Considerado um dos melhores da divisão no país e atual detentor invicto do cinturão do maior evento de luta em pé da América Latina,Ravy Brunow volta à sua origem nas artes marciais e já encara uma forte rotina de treinos para garantir uma grande apresentação no torneiro, uma vez que já faz muito tempo que não sobe aos ringues sob as regras tradicionais da modalidade.
“Estou invicto, sou o campeão do WGP e topei esse fazer essa luta de muay thai porque é um grande evento e gostaria de me testar. Apesar de ter iniciado no muay thai, faz cinco anos que não luto esse estilo tradicional e, como disse, quero muito encarar esse desafio. Quero mostrar meu talento e provar pra mim mesmo que posso ser campeão em todas as lutas em pé, seja no kickboxing ou no muay thai”, conta Ravy.
Para o diretor-executivo do WGP Kickboxing, Paulinho Zorello, a participação de seu campeão no torneio de muay thai é mais um atrativo para o pioneiro evento. “Quando eles definiram que o torneio seria na categoria 72,5 Kg, tivemos uma conversa e entramos em um acordo para termos a participação de nosso campeão para representar o WGP. Vai ser um ótimo teste para o Ravy, que faz tempo que não luta o muay thai tradicional, e com certeza vai ser uma atração a mais para o público”, afirmou.
A migração do muay thai para o kickboxing foi simples e gratificante. Como o próprio lutador explica, seu desempenho na modalidade em que é o detentor de um dos mais cobiçados cinturões da América Latina o fez seguir o caminho que colocar no patamar dos melhores em nível mundial.
“Me adaptei muito bem ao jogo do kickboxing, um jogo com muito mais movimentação e combinações. Com isso, consegui um grande retorno tanto esportivamente, quanto financeiramente e de visibilidade. Estou invicto no kickboxing e ninguém no Brasil ganhou de mim. Disputar este torneiro será mais um desafio para mim mesmo”, comenta.
Cinturão mundial é o grande foco
Com o título dos meio-médios do maior evento de trocação da América Latina, Ravy Brunow acredita que chegou a hora de conquistar um título fora do Brasil. Este também se tornou um dos grandes motivos escolhidos por ele para aceitar abrir mão de uma disputam o kickboxing para estar no torneio de muay thai, sonhando com a viagem para a Ásia, mais precisamente até a Tailândia onde pode se tornar campeão em suas raízes.
“Meu maior objetivo é na luta em pé é ser o melhor que faço. Busco ser campeão mundial das duas modalidades, que faltam estes títulos na minha carreira. Se eu ganhar esse evento vou para a Tailândia e participar da final que vai ser lá e será a hora de ser campeão mundial. No WGP ainda prevejo muita coisa boa. Quero ser campeão mundial de kickboxing aqui no Brasil e no WGP”, garante.
Marcelo Dionísio no caminho
Campeão ou não do GP de muay thai, Ravy Brunow já tem mais um duelo garantido em vitoriosa carreira no kickboxing. Depois de defender e se manter como campeão dos meio-médios, o baiano será testado outra vez contra um novo desafiante: Marcelo Dionísio. Marcelo se tornou o rival de Brunow após conquistar o GP dos meio-médios no WGP #33, ao vencer na final Wallace Negão. O vencedor do torneio, inclusive, era o grande azarão da noite, já que aceitou em cima da hora o convite para participar do evento.
“Conheço bem o trabalho do Marcelo e sei os perigos que esse duelo pode oferecer. Mas estou sempre preparado para defender meu título, tanto que estou invicto no WGP. É um atleta duro, tem uma boa escola com o Tadeu San Martino, mas quem o WGP escolher vou estar preparado. Sou o campeão da divisão e vou perdurar por muito tempo”, define o lutador com 56 vitórias no cartel – sendo 23 por nocaute – e somente oito derrotas.
Um representante do Brasil no MMA
Além das disputas de muay thai e do WGP, o evento ainda trará três emocionantes lutas internacionais de MMA, pelo Abu Dhabi Warriors. Representando o Brasil, Sergio Leal encara o colombiano Dumar Roa, na categoria até 66kg. Sérgio é natural de Itabuna, na Bahia, e ostenta um cartel de 13 vitórias e cinco derrotas. Seu último confronto foi diante do ex-atleta do UFC, Lucas Mineiro, e o revés interrompeu uma ótima sequência de nove vitórias consecutivas, aos 32 anos.
Nos outros duelos, só com atletas de fora do Brasil, o polonês Marcin Bandel enfrenta o costarriquenho Allan Zuniga, na divisão até 77kg e o peruano Jose Zarauz enfrenta o mexicano Carlos Rivera, em luta válida pela categoria até 66kg
Mudança no GP
Escalado inicialmente para realizar uma das semifinais diante de Haime Moraes, o carioca Clei Silva teve que deixar o card, devido a problemas pessoais. Com isso, foi convocado para seu lugar Alessandro Benacci. Na outra semifinal, Cesar Almeida e Ricardo Soneca disputam a outra vaga no main event. O vencedor do Challenger GP dos pesados vai disputar o cinturão contra o atual detentor, Felipe Micheletti.
WGP #34 / EFN 9 / Abu Dhabi Warriors
Data: 1 de novembro de 2016
Local: Ginásio Mauro Pinheiro (Rua Abilio Soares, 1300 – Paraíso, São Paulo/SP
Hora: 18h30
Ingressos já à venda no site Ticket360.com.br (https://goo.gl/zB8sey)

MAIN CARD

Challenger GP – Final
K1 Rules – Peso-Pesado (94,1kg)
Vencedor da Semifinal 1 vs Vencedor da Semifinal 2

TorneioMuay Thai – Final
Muay Thai – 72,5 kg
Vencedor da Semifinal 1 vs Vencedor da Semifinal 2

Super Fight 4
MMA – 66 kg
Marcin Bandel (Polônia) vs Allan Zuniga (Costa Rica)

Challenger GP – Semifinal 1
Kickboxing – Peso-Pesado (94,1kg)
Alessandro Benacci (Benacci Team) vs HaimeMorais (Shotgan)

Challenger GP – Semifinal 1
Kickboxing – Peso-Pesado (94,1kg)
Ricardo ‘Soneca’ (Teixeira Team) vs Cesar Almeida (Rizzo RVT/LB/New Level)

Super Fight 3
MMA – 66 kg
Sergio Leal (Brasil) vs Dumar Roa (Colômbia)

Torneio Muay Thai – Semifinal 2
Muay Thai – 72,5 kg
Ricardo Pacheco (Omnoi Muay Thai Gym) vs Ravy Brunow (Ravy Brunow Team / Combat Club)

Torneio Muay Thai – Semifinal 1
Muay Thai – 72,5 kg
Willian Fernandes(DK1 – BRA) vs Alex Oller (Oller Team / Serginho Team)

Super Fight 2
Kickboxing – Peso-Médio (75 kg)
Jânio ‘Mancha’ (Round by Round/Team Brave) vs Tadeu San Martino (San Martino Fight Team / UFT)

Super Fight 1
MMA – 66 kg
Jose Zarauz (Peru) vs Carlos Rivera (México)

UNDERCARD

Fight 4
Kickboxing – Peso-Super-Médio (78,1kg)
Rodolfo ‘Cavalo’ (Brasilian Alves) vs Marcus ‘Jon Jones’ (China Team)

Fight 3
Kickboxing- Peso-Super-Leve (64,5kg)
Miqueas Ribeiro (Hard Kick) vs Diego Piovesan (União ABC)

Fight 2
Kickboxing- Peso-Meio-Médio (66,8kg)
Leonardo Santini (Santini Fight Team) vs Jonathan Ferreira (Coliseu Team)

Fight 1
Kickboxing- Peso-Pena (58,2kg)
Mateus Simão (CT Célio Rodrigues) vs Robson Silva (Serginho Team)

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here