Em seu aniversário, Marcão ‘Bad Face’ volta aos cages no Jungle Fight 88

19

Marcão Bad Face (2)

Foto: Reprodução Instagram

Após quase um ano desde sua última luta, quando derrotou o ex-TUF Brasil Ismael Marmota, no Arena Combat 3, Marcão “Bad Face” está de volta aos cages do MMA. O meio-médio (até 77 kg) será uma das estrelas do Jungle Fight 88, que será disputado dia 25 de junho, no Ginásio Poliesportivo Arthur de Mendonça Chaves, em Poços de Caldas, Minas Gerais. O evento também terá três disputas de cinturão, nas categorias leve (até 70 kg) e meio-médio (até 77kg) masculina, e galo (até 61 kg) feminina.

Ainda sem adversário definido, Marcão, que ao lado de seu irmão Miguel Santana lidera a equipe Union Of Monster Fighters (UMF), comemora voltar a atuar na organização presidida pelo ex-lutador Wallid Ismail, evento no qual lutou em 2011, quando derrotou Vicente Luque. Com muita confiança, Bad Face já mira o título do torneio.

“Estou muito feliz pela oportunidade, após um tempo afastado, estou voltando renovado. Tenho certeza que farei a melhor luta da noite e, depois, vou buscar o cinturão de campeão do Jungle. É o que temos sempre que almejar, ser campeão do evento que estamos lutando. Nosso time está muito ajustado, com os melhores treinadores em todas as áreas. Ainda não sei quem será meu adversário, mas quem vier, vai tomar chumbo grosso. Na minha visão, sou o melhor meio-médio em atividade no Brasil, então não me importo com quem venha do outro lado. Quem o Wallid colocar, vai ser bem vindo e a porrada vai comer”, disse o lutador, que é faixa-preta de luta-livre e grau preto de muay thai.

Aos 34 anos, Marcão “Bad Face”, que possui 20 vitórias no MMA profissional, sendo sete seguidas, terá a oportunidade de se apresentar justamente na data de seu aniversário. O líder da UMF promete se auto presentear e afirma ainda ter muito lenha para queimar na carreira.

“Detalhe que a luta será no dia do meu aniversário, então presente maior Deus não poderia me dar. Estou bem feliz, nunca lutei no meu aniversário, e vou me dar um presente, que será a vitória. Tenho muita lenha para queimar ainda e me acho melhor do que muita gente que teve oportunidade de lutar em evento grande do exterior. Apesar de ter muitas lutas, ainda não tive a oportunidade real de mostrar tudo o que eu posso fazer. Tudo tem a sua hora e sei que Deus tem o momento certo para mim”, concluiu.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here